Informações Infecção Por Fungos

A Candidíase é uma doença extremamente comum, ela acontece tanto em homens, em mulheres e crianças, ninguém está seguro contra essa doença. Mas o que vem a ser a candidíase? Muitas pessoas não sabem o que é candidíase e nem o quanto ela é comum, pois dependendo do lugar que ela se desenvolve ela pode ter outros nomes e a pessoa nem sabe que já teve candidíase na vida.
Ela também é conhecida por: estomatite, sapinho, balanopostite (no homem) e outros.

Essa é uma doença oportunista, ou seja, ela se aproveita de algumas oportunidades para se manifestar, essas oportunidades podem ser geradas por vários motivos dentre os quais temos uso de antibióticos, drogas, álcool, má alimentação, sistema imunológico debilitado e assim por diante. Ao contrário do que muita gente acredita a candidíase não é considerada um doença sexualmente transmissível, pelo menos não na maioria dos casos. Ela somente é transmitida por relação sexual, se o homem ter relações com uma mulher que apresente os sintomas sem o uso de preservativos e somente neste caso podemos dizer que é um caso de DST.

A candidíase ela é provocada por um fungo, esse fungo já existe no nosso organismo, convivemos com ele o tempo todo, ele habita naturalmente a vagina e o trato gastrointestinal, contudo quando o nosso corpo está em desequilíbrio e permite a proliferação desregulado do fungo começamos a apresentar os sintomas relacionados a candidíase como: corrimento branco espesso, ardor, inchaço e vermelhidão da vagina ou do pênis, por isso o nome de doença oportunista.

Na verdade existe mais de um tipo de fungo que pode causar a candidíase. O nome do gênero que causa a doença é Candida, mas entre as espécies temos C. albicans, C. tropicalis, C. krusei e C. glabrata. De todas essas espécies a mais comum é a Candida albicans, ela é a responsável por mais de 90% dos casos. Esse fungo, assim como muitos fungos, gostam de lugares úmidos e quentes, esse tipo de ambiente favorece a reprodução do fungo, por isso em nosso organismo os lugares de maiores ocorrência da doença são mucosas. Com essa informação podemos entender o motivo pelo qual estudos indicam que a mulher é a que mais apresenta essa doença. A região vaginal da mulher é propícia para essa tipo de manifestação.

Muitas pessoas conhecem a candidíase como uma doença de verão, isto deve-se pelo o fato de que no verão a temperatura está mais alta, frequentamos praia, piscina e se não tomamos os devidos cuidados existe uma chance de ter maior incidência da doença.

Essa é uma doença que pode ser considera aguda ou crônica, a diferença é bem simples. A doença aguda é aquele que aparece rapidamente e na maioria das vezes, com sintomas nítidos, muitas vezes depois de tratada nunca mais apresenta os sintomas. Já a doença crônica significa que você está com o problema por um longo período. Não quer dizer que desde o momento que os sintomas surgiram você não teve melhora, muitas vezes você já fez o tratamento, teve um excelente resultado, não apresenta nenhum sintoma, mas a doença sempre volta, os sintomas surgem e você tem que começar todo o tratamento novamente, isso normalmente pode até representar algum outro tipo de problema como, por exemplo: deficiência imunológica.

A doença pode se manifestar por várias regiões do nosso corpo e por isso ela recebe outros nomes.

Existem algumas atitudes que podem auxiliar na prevenção da doença, entretanto não é garantia de sucesso. Cuidados com a higiene intima (vale tanto para o homem quanto para a mulher); evitar má alimentação, como: alto teor de açúcar, muita gordura; consumo de bebidas alcóolicas e drogas; stress; roupas justas e de tecidos inapropriados; uso de antibióticos e etc. Como se trata de uma doença oportunista mesmo com todos os cuidados ainda existe chance de os sintomas aparecerem.

O diagnóstico da doença é feito através de um exame laboratorial de rotina conhecido como esfregaço, o médico colhe uma amostra da secreção e em uma placa deixa essa secreção lá para que o fungo possa se reproduzir e assim definir o diagnóstico.

O tratamento também é simples, com medicamento de ação antifúngica temos um bom resultado. Normalmente esse medicamento é uma pomada que aplicamos no local, para que assim tenha efeito diretamente do fungo.

Lembre-se que apesar de ser uma doença comum, com diversos tratamentos é necessário iniciar o tratamento o quanto antes, pois existe a possibilidade de agravamento da candidíase, apesar de não ser comum, esses casos existem. A doença pode se espalhar por outros órgão e inclusive levar a óbito.


 

Candidiase Masculina!!

A candidíase é muito comum tanto em mulheres quanto em homens, os sintomas são similares assim como os tratamentos, porém é necessário descobrir o quanto antes o diagnóstico e iniciar os procedimentos para tratar a doença.

A candidíase masculina é uma doença infecciosa causada por um fungo, esse fungo é conhecido como Candida sp, existem vários tipos de fungos que podem causar a candidíase, o mais comum é a Cândida albicans.

A doença consiste na proliferação descontrolado do fungo, esse tipo de problema acontece em homens que tenham transtornos em seu sistema imunológico, ou seja, com frequência suas defesas do organismo ficam debilitadas; outro fator é o uso prolongado de antibióticos. Os antibiótico são muito efetivos para o seu tratamento, porém ele também afeta nossa defesa do organismo. E por último, os portadores de diabetes e AIDS, enfim, de modo geral o que mais pode influenciar no homem a desenvolver essa doença é exatamente o desequilíbrio imunológico.

Muito importante saber que apesar da candidíase na maioria das vezes ocorrer na região genital, saiba que ela pode aparecer ou estender-se para outras partes do corpo como: boca, faringe, bexiga e assim por diante.

O maior problema dos homens em relação a qualquer doença é que eles demoram muito tempo para procurar um médico, o receio que os homens criam em relação a visita ao médico podem piorar o grau da doença.

Quando os sintomas começam a aparecer o primeiro pensamento do homem é que em breve eles irão desaparecer, mas isso é errado. Quando eles percebem que a doença já está por um longo período, eles começam a se automedicar usando diversos medicamentos, receitas caseiras e etc. É fato que algumas vezes esses procedimentos podem ajudar, mas nem sempre funciona assim e por isso quando ele vai ao médico muitas vezes o cenário é mais grave.

Se você está se perguntando se é possível pegar candidíase através de relação sexual, a resposta é bem simples, para o homem sim, para mulher pouco provável. O homem acaba se contaminando, pois quando ele tem relação sexual com uma mulher que apresenta os sintomas sem preservativos ele pode adquirir a doença e no futuro, pode surgir algum sintoma. É fundamental que o homem entenda, que na maioria dos casos de candidíase uma condição do nosso organismo naquele momento.

Os sintomas da candidíase no homem é muito similar no da mulher, mas vamos ver em detalhes o que o homem apresenta: ardência ao urinar e durante relação sexual, dor durante a penetração, inchaço e vermelhidão da área genital e corrimento esbranquiçado. Para o homem não é comum apresentar corrimento, por isso a eliminação frequente de uma secreção já um sinal de alerta. Muitas vezes o homem afetado pela candidíase nem sempre apresenta todos os sintomas acima.

O maior interesse nesse momento é discutir os cuidado para evitar candidíase e o tratamento. Como dito anteriormente é importante que o homem entenda a importância de ir ao médico, ter o diagnóstico correto, começar e manter o tratamento.

Os cuidados que o homem deve ter para evitar a candidíase são simples: boa higiene de toda a região genital, por mais que essa dica pareça comum a todos, isso ainda é um fator que influencia; não ter relações sexuais se apresentar sintomas; evitar o consumo de bebida alcoólica; não usar drogas e fortalecer o sistema imunológico.

Em relação ao tratamento, a candidíase tem cura, o seu médico irá indicar o melhor tratamento para o seu caso, mas na maioria das vezes a pessoa precisa tomar medicamentos via oral e aplicação de pomada na área afetada, essas pomadas tem ação antifúngicas, seu efeito é na própria reprodução do fungo, nesses casos nunca são aconselhado antibióticos, pois eles podem provocar alguma variação em nossa defesa do organismo e permitir que o quadro da candidíase se agrave cada vez mais. Mesmo tratada existe a possibilidade de a doença voltar, nesse caso é necessário verificar as razões pela qual o homem apresenta recorrência da doença.

Para ter um diagnóstico conclusivo da doença não é necessário muitos exames, na realidade, muitas vezes que você apresentar os sintomas citados o médico já diagnosticará a doença e você iniciará o tratamento, caso os seus sintomas não sejam tão claros e conclusivos, o médico solicitará um exame de rotina laboratorial que com uma simples amostra da secreção será possível definir o diagnóstico.

De modo geral, o que pode ser uma complicação no caso da candidíase masculina é a falta de um diagnóstico precoce e a auto medicação. Os fatores que favorecem ao surgimento dessa doença e a falta de controle do homem estão intimamente relacionados

 

 

 

Candidiase Feminina

É muito comum encontrar mulheres que sofram com uma doença chamada candidíase. Uma a cada duas mulheres podem apresentar essa doença ao longo de sua vida, e uma média de 5% dessas mulheres apresentarão recorrência dessa doença.

A candidíase não tem muitas especificações para acontecer, a doença pode ocorrer em mulheres grávidas, que, caso a mulher apresente sintomas ela não poderá fazer parto normal, pois através do canal da vagina pode contaminar o bebê e provocar diversos problemas no futuro, ela também pode acontecer em mulheres virgens. Isso mesmo, não é necessário ter relação para se contaminar com essa doença, essa doença não é transmitida somente através de relação sexual. Mulheres em idade fértil, muitos estudos relacionam a idade fértil com a presença dessa doença, porém a causa real continua desconhecida. Outro índice que os médicos vem estudando e da relação da candidíase com o ciclo menstrual, já é comprovado em estudos que muitas mulheres antes da menstruação começam a apresentar sintomas da candidíase.

Quando a mulher apresenta candidíase a maioria das pessoas associam esse problema a dois fatores: falta de higiene e promiscuidade, o que gera a um preconceito muito maior da doença e esses dois fatores definitivamente não são cruciais para o desenvolvimento da doença. Em primeiro lugar é importante saber que a candidíase não é uma DST – Doença Sexualmente Transmissível, existe chance da contaminação através do sexo, mas nas seguintes condições: uma mulher que apresenta sintomas, tem relação com um homem sem o uso de preservativos, o homem pode acabar se contaminando e ele pode ou não desenvolver sinais da candidíase. No caso de pessoas que tenham parceiros fixos mesmo que o homem não apresente sintomas é necessário que ele se cuide também, caso sua parceira apresente os sintomas. Em relação a higiene, é claro que higiene é fundamental em qualquer sentido, mas o fato de as pessoas apresentarem a doença não quer dizer que ela descuide de sua higiene intima.

Para entender melhor sobre a candidíase na mulher, entenda o que é a candidíase: essa doença é provocada por um fungo, chamado Candida sp, quando ocorre uma reprodução descontrolada do fungo, a mulher começa a apresentar sintomas, esses sintomas são: corrimento branco, pastoso, sem odor característico, coceira e queimação por toda a região genital.

Como esse fungo aparece em nossas partes intimas? Esse fungo já está em nosso organismo, mas está em equilíbrio, por isso sua presença não é notada, já temos ele em nossa flora vaginal, convivemos com ele em nosso dia-a-dia. E porque em nossa genitália? Esse fungo na verdade gosta de lugares quentes e úmido, como vagina e boca, entretanto ele pode ocorrer em diversas partes do nosso corpo, tudo depende de onde ele vai se desenvolver. Por isso a mulher acaba sendo mais propicia do que o homem a desenvolver esse tipo de doença.

Os fungos são oportunistas, por isso diversos fatores levam a reprodução descontrolado do fungo: comprometimento do sistema imunológico, algumas doenças afetam diretamente o sistema imunológico da mulher, uso de medicamentos como antibióticos e anticoncepcionais e outros fatores inclusive os citados anteriormente: gravidez, menstruação e outros.

O tratamento da doença é simples através de medicamento via oral e de pomadas com ação antifúngica, as pomadas são aplicadas diretamente na região afetada, ou seja normalmente antes de dormir a mulher vai aplicar e deixa-la agir, de preferência sem levantar novamente para que a pomada não desça, se a pomada não tiver tempo de agir o seu efeito fica comprometido. O período do tratamento pode variar de pessoas para pessoa e de medicamento para medicamento. Outro fato importante é saber que mesmo tratada e curada da candidíase ela pode voltar. O fungo oportunista espera somente uma pequena janela do nosso sistema imunológico para se reproduzir de maneira incontrolável, portanto é preciso tomar cuidado caso a doença venha a acontecer com frequência, outros problemas podem estar associados a doença, se você tem algum problema crônico em seu sistema imunológico, você não só precisa tratar a candidíase como tratar o seu sistema imunológico, fazendo assim com que ele consiga combater os agentes microbiológicos responsáveis por doenças.

Um exame simples laboratorial pode identificar a doença, por isso não deixa de ir ao médico, ele aconselhará o melhor tratamento para você, e se for o caso para o seu parceiro também.

Após tudo isso você deve se perguntar: e como faço para evitar a candidíase? Por mais que tomemos todos os cuidados, nem sempre eles serão eficazes, pois como dito, fungos são oportunistas, você pode tomar atitudes como: não usar roupas muito justas, evitar absorventes internos, uma alimentação equilibrada e assim por diante, contudo não podemos garantir que dessa maneira você terá prevenção da doença, mas isso pode ajudar com certeza.

 

Candidiase Vaginal

As mulheres durante toda sua vida precisam tomar cuidado com infecções e distúrbios que podem aparecer, principalmente na região vaginal. Essa região é propicia para manifestação de diversos agentes microbiológicos.

Um dos problemas comum entre as mulheres é a candidíase vaginal. Uma infecção genital que ocorre pelo aumento da proliferação de um fungo conhecido como Candida sp. Esse fungo está presente em nossa flora vaginal, faz parte do nosso organismos, porém quando ocorrem desequilíbrios provocados por diversos fatores se torna um problema. Uma a cada suas mulheres já tiveram esse tipo de problema e estudos indicam que 5% das mulheres terão esse problema recorrente em sua vida.

Existem vários tipos de fungos que podem causar a Candidíase, o mais comum é a Candida albicans . Esse fungos vive melhor em regiões quente e úmidas, por isso o local em que encontramos ele é em regiões com mucosa. É importante destacar que apesar de discutirmos sobre a candidíase vaginal, ela pode ocorrer em qualquer parte do corpo humano, principalmente na boca e nas genitais, tanto em homens como mulheres. Esse problema também pode se agravar de não for tratado de maneira adequada.

Os fatores que acabando propiciando a manifestação descontrolada do fungo são diversos dentre eles estão:

Baixa do sistema imunológico: quando nosso organismo não está em equilíbrio ele provoca reações, indicando assim, de alguma maneira, algum problema.

Ciclos menstruais: existem muitos estudos que indicam uma maior incidência de candidíase vaginal antes do período menstrual.

Uso de medicamentos: em relação ao uso de medicamentos podemos destacar dois exemplos:

Antibióticos: o uso prolongado deste pode provocar alteração em nosso sistema imunológico, como visto anteriormente.

Anticoncepcionais: Contraceptivos orais com grandes doses de estrogênio.

Outros fatores para a predisposição são: gravidez, obesidade, certo tipo de diabete, roupas inadequadas, como tecidos inapropriados e justos e cuidados com higiene, absorventes internos, deficiência imunológica crônica, menopausa e outros.

Muitas vezes as pessoas pensam que a candidíase é uma DST – Doença Sexualmente Transmissível, devido aos sintomas que apresentam, entretanto a candidíase não é considerada uma DST, ela até pode ser transmitida através de relações sexuais, nas condições de uma mulher sintomática ter relação com um homem sem preservativo, esse pode pegar a doença, apresentando ou não sintomas no futuro.

A candidíase vaginal é caracterizado por alguns sintomas característicos: um corrimento branco com textura de leite pastoso, sem odor, coceira e queimação na região vulvovaginal e algumas vezes você pode sentir dor durante a relação sexual.

Quando esses sintomas aparecerem é necessário ter o diagnóstico correto, muitas pessoas ao apresentar qualquer indicio da candidíase vaginal usam medicamentos por conta própria, apesar de saber que alguns medicamentos podem auxiliar no tratamento não é o mais indicado. Os exames para diagnosticar e confirmar essa doença são simples e facilmente o seu médico pode orientar o melhor tratamento. Não se esqueça que mesmo depois de fazer o tratamento corretamente existe a possibilidade da doença voltar, nesses casos é necessário prestar mais atenção ao seu problema. É comum ter recorrência dessa doença, contudo é necessário saber o motivo da recorrência, as mulheres que alguma vez teve essa doença fica sensível quando os sintomas aparecem, muitas vezes já enfrentam como candidíase e nem sempre é o fungo que está provocando os sintomas.

O tratamento para candidíase vaginal é simples e muitas vezes efetivos. Os tratamentos podem ser via oral, ou com pomadas antifúngicas.

Alguns cuidados simples podem evitar a candidíase como: procurar manter-se em equilíbrio, sem stress, uma boa alimentação e a higiene intima.

Ficando atenta aos sintomas não há motivos para preocupação, como vimos no decorrer do artigo esse problema é comum, tratável e se controlado, ou seja, se não houver recorrência é simples. Todo o cuidado com a saúde é pouco, por isso se tiver dúvida busque um médico para lhe orientar, como também vimos que há outras espécies menos comuns do fungo, o tratamento também pode ser diferenciado. O período de tratamento pode variar, isso depende da reação de cada organismo, se o medicamento que você está usando não faz o efeito esperado converse com o seu médico para muda-lo é importante que veja as melhoras durante o tratamento.

O corrimento é o primeiro sintoma para indicar se a pessoa tem candidíase, após esse sinal verifique se tem outros sintomas associados e se estão condizentes com o que foi dito nesse artigo, a probabilidade de você já saber o diagnóstico é muito grande, claro que não se pode esquecer que existem vários tipos de corrimentos e outros sintomas associados, por isso nem sempre teremos a confirmação, mas uma coisa é certa não é necessário grande preocupação, mantenha o controle da situação.

 

Corrimento Vaginal

Muitas mulheres apresentam corrimento vaginal, mulheres jovens, maduras, grávidas e virgens. O corrimento vaginal é um tipo de secreção que pode ser eliminada pela mulher e pode indicar boa saúde ou algum problema. Existem vários tipos de corrimento, cada tipo pode representar um problema e por esse motivo é necessário analisar o corrimento e verificar se existe algum outro sintoma associado.

Para identificação do corrimento é preciso verificar alguns aspectos essenciais como: consistência (espesso, pastoso ou ralo), cor (límpido, turvo, branco, amarelo e verde) e odor (normal, inodoro ou mal cheiro). Lembre-se que qualquer outro sintoma associado a esse problema precisa ser levado em consideração, pois muda completamente o diagnóstico. É possível ver o corrimento na calcinha ou momento da limpeza da vagina após urinar.

O corrimento branco e/ou límpido em pequenas quantidades, sem odor e com textura lisa que acomete muitas mulheres, de modo geral, é muito comum e está dentro dos padrões de normalidade de secreções eliminadas pela vagina. Não é necessário se preocupar com todas as alterações apresentadas no seu organismo, algumas vezes o corrimento desse tipo pode representar uma defesa de seu organismos para qualquer outro agente. Mesmo a mulher que nunca apresentou nenhum tipo de corrimento ou nunca identificou algum tipo de sintoma é possível que após determinada idade aparece esse problema.

Desconsiderando a secreção natural que nosso organismo pode liberar, as causas mais comuns de corrimento são infecções. Essas infecções podem ser causadas por bactérias e fungos, elas são especificas e precisam ser tratadas de maneiras especificas, os sintomas e os tratamentos são diferentes, por isso antes de iniciar qualquer tratamento é necessário verificar o que está provocando o corrimento na mulher. Outros fatores que influenciam no corrimento vaginal são: idade, ciclo menstrual, roupas e outros.

Quando percebemos a presença de um corrimento branco e espesso acompanhado de coceira e queimação na região vaginal, a causa mais provável é um fungo, conhecido como Candidíase.

O corrimento causado pela Candidíase tem uma característica de leite pastoso e não tem um odor característico e sempre está associado a coceira e queimação vulvovaginal.

A Candidíase é uma infecção comum, muito conhecida e o mais importante: tratável. A alta reprodução desse fungo na vagina provoca todos esses sintomas e por esse motivo é fundamental ter atenção quando estes sinais aparecem.

A proliferação de fungos normalmente ocorre quando temos uma baixa da imunidade, uso prolongado de determinados remédios que deixam nossas barreiras protetoras do organismo mais indefesa. Os fungos se reproduzem rapidamente, consequentemente sua manifestação é percebida em um curo espaço de tempo. É comum a mulher não apresentar nenhum sintoma num dia e no outro precisar ir ao médico para verificar qual o problema. Importante lembrar que o fungo que provoca Candidíase já está no nosso corpo, mas como está em equilíbrio não apresentamos sintomas.

Muitas pessoas associam estes sinais clássicos da candidíase: corrimento esbranquiçado pastoso e coceira com alguma DST – Doença Sexualmente Transmissível, porém é importante lembrar que nem sempre esses indícios são devidos a uma DST, a própria candidíase não se trata de uma doença sexualmente transmissível, mas mesmo assim existe o risco de ser transmitida através da relação sexual.

Se você apresenta algum tipo de corrimento mais não sabe se ele pode estar associado a algum problema realmente grave, fique atenta aos fatores associados, como: dor durante relação sexual, coceiras, ardor. Um corrimento branco, natural, de alguma reação do nosso organismo não provoca nenhum outro sintoma.

Existem diversas maneiras de se evitar esse tipo de problem. Os fatores que influenciam são as roupas que usamos, roupas justas ou de tecidos inapropriados. Procurar manter-se em equilíbrio com sua saúde, não se esqueça que fungos são oportunistas e qualquer brecha que ele encontre em nosso organismo ele vai provocar algum tipo de reação. A alimentação influencia diretamente, pois uma alimentação saudável aumenta sua imunidade e uma alimentação inadequada pode provocar variações no organismo e no PH da vagina permitindo assim que nossa flora vaginal entre em desequilíbrio. Outro fator relevante é o cuidado com a higiene intima.

Os exames para diagnostico desse tipo de problema são fáceis e rápidos, o método mais comum é um exame chamado Papanicolau. É sempre importante ir ao médico e ter o diagnóstico correto para que o tratamento seja eficaz, o tratamento de corrimento pode ser feito via oral ou através de pomadas aplicadas na vagina com ações antifúngicas. Também, deve-se saber que apesar de um tratamento eficaz, é possível voltar os mesmos sintomas e os mesmo problemas. O tratamento não é definitivo, por isso é melhor tomar todos os cuidado para evitar esses problemas.